Loading…


martes 05/12 - Fac. Derecho / Sala 39
08:00 - 10:00 Presentación de PONENCIAS
 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Educación ambiental |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
Extensão Universitária para o Desenvolvimento Rural Sustentável: Um estudo de caso na comunidade Paus de Leite, Quixelô, Ceará (Brasil) (#4098)
Môngolla Keyla Freitas De Abreu 1; Maria Luiza Barbosa Araújo 1; Antonia Railene De Souza Rodrigues 1; Paula Guedes Vicente 1; Verônica Salgueiro Do Nascimento 2;
Milanya Ribeiro Da Silva 3
1 - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ. 2 - Universidade Federal do Ceará. 3 - Universidade Federal do Oeste da Bahia\ Universidade de Brasília.
Abstract:
A interação direta e indispensável do Desenvolvimento Sustentável com o Meio Ambiente tem direcionado olhares para uma variedade de ações antrópicas, dentre elas a destinação incorreta do lixo em comunidades rurais, a proliferação de endemias e a prática de queimadas. A problemática desta pesquisa é promover a destinação correta do lixo no Sítio Paus de Leite a fim de reduzir a proliferação de vetores de doenças, queimadas no lixo acumulado e o comprometimento dos recursos naturais na localidade em questão. Diante disso o estudo tem por objetivo analisar de forma dialogada os resultados obtidos a partir de uma prática de extensão universitária executada na comunidade rural de Paus de Leite, município de Quixelô, Ceará, Brasil, sob a perspectiva do Desenvolvimento Rural Sustentável. O estudo de cunho qualitativo optou pelo percurso metodológico relacionado diretamente com os objetivos da proposta de intervenção socio-ambiental na comunidade Paus de Leite: pesquisa bibliográfica seguida de rodas de conversa, tanto na comunidade rural quanto na escola de educação básica do Sítio Paus de Leite, concluindo a análise dos dados por meio de uma triangulação teórica, metodológica e de dados. Todas as informações coletadas no lócus da pesquisa foram interligadas de forma dialógica com as dimensões da sustentabilidade: social, econômica, ambiental e político-institucional. Dentre as ações, houve a oficina com materiais recicláveis como proposta para a redução da produção de lixo, bem como para a geração de renda na comunidade em questão; por meio das rodas de conversa teve o direcionamento para a construção política e de empoderamento dos moradores locais, com o intuito de promoção do Desenvolvimento Rural Sustentável, a partir de todas as dimensões supracitadas; e por fim todas as abordagens tanto na escola como fora desta enfatizou a condição ambiental da comunidade em relação a principal problemática: acúmulo de lixo no entorno da comunidade. A comunidade Paus de Leite observou avanços significativos nas condições socio-ambientais a partir do comprometimento com o Desenvolvimento Sustentável Local.

 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Educación ambiental |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
Ciudadanía sustentable con niñas y niños para una educación ambiental mediante el lombricomposteo (#4913)
Sergio Jacinto Alejo López 1;
Marcos Jacobo Estrada Ruiz 1
1 - Universidad de Guanajuato.
Abstract:
La ciudadanía sustentable es un concepto emergente y complejo que se apoya en la preocupación y participación de la sociedad mundial ante la aceleración del riesgo ambiental y con la urgencia de fundar una nueva historia del hombre con la naturaleza. Existe un auge desde la globalidad por conducir la sustentabilidad desde perspectivas reduccionistas del mercado y la utilidad, carentes por una parte de diálogo de  diversidades y concienciación, y por la otra, una educación ambiental con un mínimo impacto en la responsabilidad social. En este sentido, la ciudadanía en los niños y niñas es comprendida en este trabajo, como el ejercicio de poder con decisiones compartidas de acuerdo a su nivel de desarrollo, considerados actores sociales que pueden hacer historias de vida e incorporar valores, sentimientos y conocimientos distintos y creativos y no solo intervenir como agentes espectadores supeditados a la voluntad de los adultos. En México, uno de los principales problemas para la formación de una ciudadanía sustentable, es la deficiente educación ambiental desde la escuela que favorece las tendencias consumistas de recursos y de energía, como son el agua, la contaminación del suelo y el aire. Las temáticas ecológicas se sujetan a lo señalado en los libros y al discurso del profesor, sin tomar en cuenta un pensar reflexivo con impacto en la práctica que fortalezca un mejor aprendizaje. La presente investigación pretende desarrollar la práctica de lombricomposta escolar sobre la problemática de sustentabilidad y medio ambiente, con beneficios para producir alimentos sanos, la biodegradación de residuales y la descontaminación ambiental por parte de niñas y niños de nivel básico desde su entorno, como un proceso educativo/colaborativo, con el apoyo de estudiantes Ingeniería Agroindustrial de la Universidad de Guanajuato. Se emplea una metodología cualitativa para dar cuenta de los significados que tienen los niños y las niñas acerca de sus acciones cotidianas en el tema ambiental mediante las prácticas escolares; se enfatiza en sus representaciones sociales, así como en sus opiniones, propósitos y motivaciones.

 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Educación ambiental |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
Atos, fatos e reflexos da extensão universitária na inclusão de catadores de materiais recicláveis em Criciúma, SC. Brasil. (#5029)
Mário Ricardo Guadagnin 1; Leansro Nunes 1; Viviane Kraieski De Assunção 1; Debora Ferrazzo 1; Vitória De Oliveira Souza 1; Sabrina Baesso Cadorin 1; Táira Oliveira Gregório 1; Gabriela Boaroli Galli 1; Laura Barg 1
1 - UNESC.
Abstract:
A extensão universitária é um espaço de possibilidades da interlocução do ensino e da pesquisa. Sua construção dá-se pela interação do social com o institucional, em diferentes dimensões. Construir a base tríplice da universidade: Pesquisa, Ensino-aprendizagem e a Extensão para que componham, sem divisão em partes, o processo de produção de conhecimento é sempre desafiador. Uma provocação que estará sempre nos colocando frente a críticas, às vezes construtivas, a respeito da cientificidade, da forma como é conduzida, da proficuidade, da inclinação e atitude transformadora das ações de extensão e de seu tino na trajetória acadêmica. Ao refletir sobre o projeto Coleta Seletiva Solidária traça-se uma análise objetiva da mutação do próprio modo de se pensar/realizar a extensão universitária, cooperando para um debate nevrálgico/fecundo e uma meditação a respeito do alcance da Universidade sobre a coletividade e da própria instituição como espelho da conjuntura social e histórica em que está enraizada.  Com esta ótica relatam-se algumas reflexões resultantes da realização do projeto de extensão que teve início em 2008 e prospera agora intitulado “Coleta Seletiva Solidária: fórum da cadeia produtiva de resíduos sólidos com participação da gestão pública municipal, terceiro setor e cadeia de reciclagem na inclusão social de catadores” desenvolvido na cidade de Criciúma – SC, sul do estado de Santa Catarina, Brasil. O Projeto Coleta Seletiva Solidaria- UNESC desenvolve suas atividades comunitárias desde 2008 com uma equipe interdisciplinar, interinstitucional tendo como público alvo catadores e catadoras de materiais recicláveis. O processo de construção do projeto Coleta Seletiva Solidária tem desenvolvido atividades que tem como base de ação extensionista as ideias de Paulo Freire num contexto de relação dialógica horizontal, não verticalizada, com os atores envolvidos principalmente os catadores e catadoras associados a dois empreendimentos associativos uma cooperativa e uma associação de catadores a CTMAR e ACRICA num processo de transferência gradativa de catadores e catadoras de um modus operandi individual para um processo inicial de trabalho associativo. O Projeto de Extensão de Coleta Seletiva Solidária tem como objetivo a criação de espaços dinâmicos de ação e reflexão junto às comunidades científica, organizada de catadores, de lideranças de bairros e de organizações públicas e privadas, visando a continuidade e a expansão das atividades relacionadas à coleta seletiva de resíduos sólidos com inclusão social de catadores e catadoras no município de Criciúma. Como gestores acadêmicos estão os cursos de Engenharia Ambiental e Psicologia representada na coordenação do projeto, tendo as dependências da Unesc, CTMAR, CÁRITAS, CRAS Tereza Cristina e o Fórum Municipal Lixo e Cidadania como locais de execução das atividades extensionistas. A busca da inserção de catadores e catadoras de materiais recicláveis em cadeias produtivas inclusivas vai além do processo de empoderamento dos atores foco do projeto de extensão, mas perpassa o necessário diálogo com os gestores públicos e integrantes da logística de valoração produtiva para evitar a inclusão perversa e efetivar e política pública prevista na lei de resíduos sólidos brasileira aprovada desde 2010.

 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Educación ambiental |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
Processos educativos para geração do bem-viver: a pedagogia da alternância na Escola Família Agrícola Dom Fragoso – Independência/Ceará (#5194)
Victoria Paiva 1
1 - Universidade Federal do Cariri (UFCA).
Abstract:
Esta comunicação versa sobre os processos educativos gestados pela Escola Família Agrícola Dom Fragoso, localizada na cidade de Independência, no Estado do Ceará (Brasil), durante a implementação de um programa de extensão executado pela Universidade Federal do Cariri (UFCA), de março a dezembro de 2016. A partir de uma aproximação etnográfica, foi possível observar a singularidade das práticas educativas ali vivenciadas, principalmente devido à adoção da pedagogia da alternância, em que os/as educandos/as articulam a educação escolar (“tempo-Escola”) ao trabalho nas unidades produtivas nas suas comunidades de origem (“tempo-Comunidade”), criando, portanto, processos de ensino-aprendizagem significativos. Ao final do ensino médio, mais do que uma mera certificação formal de Ensino Técnico em Agropecuária, os jovens tornam-se sujeitos com atitudes críticas e reflexivas devido à vivência proporcionada, assentada nas práticas agroecológicas voltadas à economia solidária, ao desenvolvimento sustentável e temas afins. O objetivo principal do artigo consiste em identificar naquela experiência suas principais características, analisando suas potencialidades e limites para a geração do bem viver no contexto do semiárido do Nordeste brasileiro. De acordo com os interlocutores da pesquisa e documentos institucionais, a EFA Dom Fragoso foi resultado dos processos de luta camponesa pela terra e pela busca de uma educação que contemplasse as especificidades da vida no campo, contribuindo para a permanência dos jovens mediante o fortalecimento da agricultura familiar. Assim, inspirados no modelo francês, integrantes da Comissão pastoral da Terra (CPT) ligados à Diocese de Crateús e ao movimento sindical rural conseguiram acessar terras naquela região onde está situada a sede da Escola, na localidade Santa Cruz, a 14km da cidade de Independência, cidade que integra do território Inhamuns-Crateús, parte integrante do polígono das secas. Atualmente, é um dos municípios mais áridos, com maior índice de desertificação do Estado. A EFA Dom Fragoso é a primeira Escola voltada à educação no campo no Ceará, tendo iniciado suas atividades em 2010, formando cerca de 200 jovens, em 6 turmas de ensino médio. Conforme salienta Ribeiro (2008, p.30), tanto a concepção de Educação Rural/do Campo como a Pedagogia da Alternância, são expressões polissêmicas, com aproximações e distanciamentos teórico-metodológicos. Em suas palavras: [...] conforme os sujeitos que as assumem, as regiões onde acontecem as experiências, as condições que permitem ou limitam e até impedem a sua realização e as concepções teóricas que alicerçam suas práticas. [...] a Pedagogia da Alternância tem o trabalho produtivo como princípio de uma formação humanista que articula dialeticamente ensino formal e trabalho produtivo (RIBEIRO, 2008, p.30). Nessa perspectiva, a análise dessas práticas pode contribuir com as reflexões acadêmicas no setor de estudos, apontando possibilidades e limites dos processos educativos que vislumbrem novas pedagogias, com vistas à transformação social.

 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Educación ambiental |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
Campanha Jogada Certa: a educação ambiental e a inclusão dos funcionários da limpeza. (#6649)
Letícia Sayuri Kumegawa 1;
Patrícia Gaspar 1; Christian Luiz da Silva 1
1 - Universidade Tecnológica Federal do Paraná.
Abstract:
A preocupação com a gestão de resíduos sólidos tem sido pauta não apenas dos órgãos governamentais, mas também de empresas e instituições. Nesse sentido, a Universidade Tecnológica Federal do Paraná implantou no campus Curitiba a campanha Jogada Certa, como um instrumento de educação ambiental para coleta seletiva e melhor aproveitamento de material orgânico. A campanha é voltada a todos que convivem no campus Curitiba, desde alunos, professores, servidores públicos e funcionários terceirizados da limpeza. Dada a abrangência da campanha, levantou-se a questão acerca da inclusão de um público considerado uma minoria no campus, os funcionários da limpeza, os quais são peça importante para que a ação de educação ambiental tenha sucesso. Assim, este artigo tem como objetivo apresentar os resultados da pesquisa feita para analisar se houve a inclusão dos funcionários de limpeza na campanha e como foi a participação dos mesmos. Para coleta de informações, foram feitas entrevistas com 34 funcionários, por meio de um levantamento misto, em um questionário qualitativo e quantitativo, composto por 16 questões fechadas e uma questão aberta, sendo preservado o anonimato dos participantes, uma vez que a maior parte dos entrevistados demonstrou receio de se identificar. A escolha pela utilização de um questionário se deu pelo caráter sigiloso, a otimização do tempo para os entrevistados e maior possibilidade de coletar um maior número de dados. Os resultados foram divididos em seções: dados básicos, nível de afinidade com o tema da campanha, envolvimento na campanha e assimilação da campanha. Percebe-se que o público não está de fato, incluso na campanha, de forma a internalizar o objetivo dela. Não há participação ativa dessa camada da população do campus, além de perceber que a maioria dos que foram ouvidos atentam para falta de treinamentos periódicos. Porém, os resultados demonstram que, ainda que não haja a internalização do conceito que a campanha pretende alcançar, há por parte dos entrevistados, interesse em entender melhor e também participar de forma mais ativa na campanha. Após a análise dos resultados, chegou-se à conclusão que apesar de eficiente para alunos, professores e servidores, como mostram os resultados divulgados pelos mentores da campanha, não há abrangência para um grupo que é parte essencial para que a campanha funcione corretamente. Sugere-se repensar estratégias que possam integrar melhor os funcionários da limpeza na Campanha Jogada Certa, para que não seja um mero instrumento de regras e "adestramento", mas que possa transformar o sujeito em agente ativo na campanha, o qual possa refletir e atuar de forma crítica nela. Ainda, é preciso tornar mais democrática essa prática de educação ambiental, tal como se pautam os princípios da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Educación ambiental |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
EDUCAÇÃO AMBIENTAL E PROTAGONISMO JUVENIL NA ESCOLA: Plantando hoje, Garantindo o amanhã (#7305)
Reis Marlene 1;
Lima Fábia 1
1 - UFPE.
Abstract:
O projeto partiu do interesse coletivo em desenvolver ações-práticas na escola-comunidade do Jardim Beira Rio-Pina, em Recife, formandoos estudantes do 5º ano B, em multiplicadores com o objetivo de sensibilizar outros estudantes, a família, a comunidade a qual reside para o exercício da cidadania ambiental (ação integradora do sujeito e seu território), além, da construção do protagonismo Infanto-Juvenil, tendo como eixo verde urbano, resíduos dólidos, biodiversidade, água, mudanças climáticas, animais, reciclagem, entre outros. O objetivo principal é refletir (planejamento-ação-prática) sobre o papel da Educação Ambiental na mudança de comportamentos a partir da perspectiva do Desenvolvimento do Protagonismo Infanto-Juvenil;  oferecendo possibilidades concretas para que o jovem exercite sua cidadania, sendo um agente ativo de transformação, sujeito de sua própria história, podendo atuar criticamente na sociedade e no meio em que vive a partir do desenvolvimento de sua autonomia na construção do conhecimento, e fundamentado pelo eixo e princípio da política de ensino: meio ambiente e tecnologia. Optou-se por realizar levantamento das realidades vividas pelos estudantes e a comunidade em geral no seu cotidiano, referente aos temas que envolvem a Educação Ambiental e Protagonismo Infato-Juvenil, relacionando com intervenções práticas-pedagógicas empreendidas em âmbito escolar/comunidade à partir da iniciativa dos próprios estudantes em darem continuidade as atividades desenvolvidas na escola-projeto no ano anterior (2015) com o envolvimento e compromisso da comunidade escolar. Com aplicações diversas atividades, como produção textual, histórias em quadrinhos, folder, cordel, músicas, produção de brinquedos, produção de horta, oficinas de produção de brinquedos a partir de materiais, campanha de conscientização de limpeza na praia do Pina e atividades extraclasse como visitas ao Barco Escola, Eco Núcleo Parque da Jaqueira, Jardim Botânico, Zoológico Parque 2 irmãos, entre outros. Foi de visível relevância dar continuidade ao projeto sobre o meio ambiente dentro da escola. Neste segundo ano de vivência, obtivemos um maior nível de envolvimento por parte de todo grupo escolar; equipe gestora, professores, pais e alunos vivenciaram ricas trocas de conhecimentos, rodas de debates e ações integradoras escola/comunidade. O pensar, o fazer, o repensar e o criar novas possibilidades a partir da prática vivenciada, garantiu a construção de conhecimentos diretamente ligados à realidade ambiental dos alunos (na esfera micro), mas, sobretudo desenvolveu no grupo o comprometimento com a conservação do planeta na esfera macro. Como legado, além do significativo conhecimento, a escola tem hoje um jardim cultivado e conservado pelos alunos e atividades sistemáticas relacionadas ao meio ambiente.

 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Educación ambiental |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
O/A ASSISTENTE SOCIAL NO CONTEXTO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS AMBIENTAIS. (#7613)
Ayna Miranda 1
1 - Faculdade Mauricio de Nassau (Campus Caruaru-PE).
Abstract:
Este artigo tem por finalidade estudar a importância do trabalho do assistente social como educador ambiental. O estudo segue sua linha de considerações propondo contribuir com a informação e explicações relacionadas ao meio ambiente, para isso segue a metodologia de pesquisa  bibliografica e anaçise de estudos atraves de artigos e livros ja publicados. O surgimento dos movimentos sociais ambientais e a política pública que tem correlação. No cenário mundial e especificamente no Brasil, a questão ambiental tem se tornado algo preocupante para a humanidade. Ela deixou de ser um tema que interessa somente a ambientalistas ou pessoas vinculadas às questões ecológicas, para ser vista como uma problemática que perpassa toda a sociedade. A questão ambiental envolve acima de tudo a tomada da consciência de que a preservação do meio ambiente é algo necessário que necessitamos, com urgência, de uma prática cotidiana que integre questões culturais de cunho pessoal e profissional, atravessando assim, pelas questões ambientais. Existem diversos tipos de desastres naturais, porém, para esse estudo ressalto a seca e as enchentes. A população também possui seu papel de culpabilidade, pois além de não contribuir com a preservação do meio ambiente, estabelece moradia em lugares de risco. Neste sentido, é necessário discutirmos a atuação do Assistente Social frente à política social de educação ambiental. É preciso entender que o assistente social é também um educador, que tem sua prática profissional permeada pela ação sócio educativa. Assim, compreendemos que a educação ambiental se insere nas demandas emergenciais, porque esta requer estratégias inovadoras que passam a ser desenvolvidas pelas classes sociais, apontando para a ampliação do espaço ocupacional do Serviço Social. E por atuar diretamente com a Questão Social, pode agir como um implementador de políticas sociais, neste caso, políticas socioambientais na perspectiva da garantia dos direitos de cidadania. Com o olhar direcionado para a esfera social temos o Serviço Social com lugar tão privilegiado como de outros profissionais, que de forma mais técnica, possuem relações familiares com as questões ambientais.  O artigo 3º, alínea d, do Código de Ética Profissional prevê que Assistentes Sociais “têm como dever participar de programas de socorro à população em situação de calamidade pública”. É de total relevância ético político o envolvimento do profissional nas ações de apoio a população atingida, porém, é preciso que os profissionais exerçam suas atribuições em consonância com o Projeto Ético-Político, evitando que as ações caiam no assistencialismo e que sigam as orientações das normativas, entre elas a Tipificação Nacional dos Serviços Socioassistenciais do Conselho Nacional da Assistência Social, conforme Resolução nº 109/2009, que define o serviço de Proteção em Situações de Calamidades Públicas e Emergências como um Serviço da Proteção Social Especial de Alta Complexidade (CRESS/ES, 2013).

 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Catástrofes, riesgo y Vulnerabilidad |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
Catástrofe Ambiental e Inserción Socio-ambiental en América Latina (#0509)
Sandoval Vázquez Francisco Rubén1; González Romero Bertha Mónica2
1 - Universidad Autónoma del Estado de Morelos. 2 - Centro de Estudios Políticos y Sociales.
Abstract:
La sociedad de riesgo global resultante de los procesos de crecimiento económico e industrial acelerados en la última mitad del siglo XX. La sociología ha definido e identificado el riesgo en la modernidad industrial, que ya no es sólo de algunas sociedades sino mundial. El proceso de crecimiento económico que impulsa el sobreconsumo propicia una mundialización de la crisis ambiental resultante de la globalización económica, la expansión de la producción así como del consumo de manera indefinida sobre la base del supuesto inmaterial de un planeta infinito. En el marco del Cambio Climático Mundial (CCM) el riesgo que representan las catástrofes relacionadas con las inundaciones se prevé que aumenten debido a la inestabilidad atmosférica. A fin de conocer los procesos de inserción al CCM en América Latina se realizó un estudio comparado entre México y Colombia sobre como las personas perciben el riesgo, se estresan ante la crisis ambiental y generan estrategias de resiliencia e inserción socio-ambiental. En este trabajo se busca vincular procesos sociales con procesos personales en el marco de la sociología ambiental que permitan reconocer patrones en el comportamiento de sobrevivencia ante una catástrofe ambiental, en un entorno cambiante de las condiciones climáticas. No se trata de desconocer la validez teórico-conceptual de la vulnerabilidad que incluye una dimensión estructural que condiciona los efectos locales de daño a los medios de vida de poblaciones enteras. Tampoco se aboga por la no intervención estatal en apoyo de los grupos más vulnerables que enfrentan una crisis ambiental, toda vez que son estos grupos quienes tienen mayor dificultad en la reconstrucción de sus medios de subsistencia. Por el contrario, se busca a través de sus prácticas como sobrevivientes encontrar acciones autorreflexivas que lleva a las personas a profundizar su toma de conciencia, de la cual resulta su inserción como actores y autores de los procesos sociales. Con este fin se emplearon tres escalas: estrés, resiliencia y percepción del riesgo en las cuencas del Balsas en México  y del Magdalena en Colombia. El instrumento se aplicó a 900 personas (450 por país) a fin de alcanzar un nivel de confiabilidad de 97% con un margen de error de 3.8% de acuerdo a la formula  considerándose como muestra de una población infinita. Los cuestionarios se aplicaron de manera simple aleatoria no probabilística con el sistema de consulta en la vía pública entre Julio y Octubre de 2015. El análisis mostro que la Prueba T así como la correlación de Pearson tienen rasgos importantes respecto a las estrategias de sobrevivencia y reconstrucción que las personas emprenden, siendo diferenciado el nivel de estrés pero también los niveles de inserción diferenciados de manera significativa por cuenca.

 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Catástrofes, riesgo y Vulnerabilidad |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
Vulnerabilidade socioambiental, risco e injustiça ambiental em contextos urbanos modernos: o caso de uma comunidade de Vila Velha (ES) (#1166)
Odile Elise Augusta Reginensi 1; Eliana Rangel 2; Nilda Da Silva Pereira 2;
Teresa Da Silva Rosa 2; Túlio Gava Monteiro 2
1 - UENF. 2 - UVV.
Abstract:
O presente trabalho é resultado parcial da pesquisa  “Compreendendo a construção da vulnerabilidade socioambiental em contextos urbanos modernos”, desenvolvido no âmbito do  Núcleo de Estudos Urbanos e Socioambientais/NEUS,  do Programa de Pós Graduação em Sociologia Política/PPGSP. O principal objetivo é fazer uma reflexão sobre a ocupação do solo urbano em contexto moderno de uma comunidade inserida no bairro de Itapoã da cidade de Vila Velha (Espírito Santo, Brasil). A comunicação proposta parte da premissa que a urbanização na Região Metropolitana da Grande Vitória, muitas vezes desordenada, ou seja, em área de desenvolvimento tardio, está na gênese do processo de vulnerabilização de populações, expondo-as, consequentemente, à situação de risco (inundações, deslizamentos de massa, riscos tecnológicos entre outros), o que estaria contribuindo para a criação de um cenário de injustiça ambiental. O estudo busca lançar luz sobre a compreensão do que ocorre em áreas de desenvolvimento tardio a partir do foco local, onde o processo de urbanização parece ser baseado hegemonicamente na dimensão econômica. A investigação é delineada por pesquisa qualitativa destacando as características do terreno e descrições detalhadas que revelam usos e práticas dos  espaços físicos como:  becos, vielas, poucos espaços das ruas, estruturas das casas, água empoçada,o mau cheiro do Canal da Costa, moradias inadequadas para morar seguramente, o processo de construção de um sentimento de pertencimento entre os moradores. A pesquisa destaca ainda, os conflitos que surgem pelos problemas causados por fatores como pelas enchentes e inundações, pela falta de infraestrutura e pelo processo de gentrificação;  as diferenciadas comunicações estabelecidas pelos moradores; as formas de violências diversas;  as tácticas e estratégias que facilitam a vida cotidiana e, mais além, constroiem  um processo de apropriação desordenada e informal do solo; as particularidades estéticas  e a ação do o interesse do poder público,  que de um lado tenta oferecer condições decentes e  dignas de vida  dentro da comunidade.  Mas,  obedecendo de um padrão urbanistico, que conduz a obras mal feitas por exemplo, e do outro lado apoia tem interesse que se realiza grandes empreendimentos estimulando a gentrificação, porque a comunidade fica  numa área nobre da cidade. O estudo aponta para pelo menos  duas considerações finais preliminares: (1) a escolha da observação "in loco" permitiu aprofundar o conhecimento da comunidade numa perspectiva interdisciplinar, incluindo as suas dimensões espaciais ambientais e sociais; (2) a relação entre risco, vulnerabilidades socioambientais e injustiça ambiental na referida comunidade desvela um processo de urbanização baseado hegemonicamente na dimensão económica em detrimento da estética ambiental local.

 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Catástrofes, riesgo y Vulnerabilidad |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
Da lama ao caos: os desafios do maior desastre socioambiental do Brasil (#3497)
Maria Luiza Rodrigues Dantas 1
1 - Universidade de Pernambuco.
Abstract:
O caso conhecido como Mariana, em razão da cidade onde ocorreu, apresentou visibilidade por ter sido de grande impacto socioambiental em vários municípios do estado de Minas Gerais, Brasil. Consequência do rompimento da barragem de minério de ferro, trouxe danos incomensuráveis, a exemplo das inundações que provocaram várias mortes e retiraram moradias das populações ribeirinhas; bem como, destruição e danos irreversíveis à fauna, flora e populações tradicionais, dentre outros. Ressalta-se, que esse impacto, que parecia ter sido por acaso, sugere a análise da teoria da “sociedade de risco”, criada por Ulrich Beck (2009). De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, haviam documentos internos da empresa que só vieram a público no curso da investigação e revelavam o conhecimento da possibilidade de ocorrência da tragédia, uma omissão que terminou por provocar danos ambientais, sociais, culturais, econômicos. Cerca de 32,2 bilhões de litros de resíduos tóxicos foram despejados na região, matando 19 pessoas, deixando 352 famílias desabrigadas e afetando a economia e o abastecimento de água de 27 cidades dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Nada poderá ser construído no local, o material despejado não apresentava matéria orgânica, tornando o solo infértil, ou seja, está impossibilitada até a agricultura de subsistência. Nessa perspectiva, há a situação da comunidade indígena Krenak, de aproximadamente 400 pessoas, que está isolada, sem poder pescar ou usar o rio, impactando diretamente nos costumes e nas histórias das populações locais. Ademais, foram identificados danos aos marcos da Estrada Real e aos bens Fazenda Fábrica, Mina de Santo Antônio e à Capela Santo Antônio, patrimônio histórico, sociocultural e arqueológico, situados no Município. A exemplo da capela, que sofreu danos significativo, foi construída no século XX, e inteiramente restaurada em 1990, fora a primeira em um distrito de Mariana. Vale ressaltar que, todos esses impactos poderiam ter sido evitados se a urgência fosse tratada da forma e no tempo devido, se o dever de precaução e prevenção ambiental tivesse sido cumprido. Sendo assim, o objetivo do presente trabalho é apresentar alguns dados do maior desastre socioambiental já ocorrido no Brasil, bem como, o maior desastre minerário que a humanidade já assistiu nos últimos cem anos.

 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Catástrofes, riesgo y Vulnerabilidad |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
Trayectoria de expansión forestal enfrentada al desastre: desenlaces y oportunidades en la producción territorial. El caso de Constitución, Chile (#4691)
Marcela Andrea Salgado Vargas 1
1 - U. de Chile.
Abstract:
La expansión de la industria forestal en Chile ha tenido un carácter expansivo, impulsado y fuertemente respaldado por políticas de desarrollo que han traído consigo profundas transformaciones socio-espaciales en gran parte del territorio. Tal expansión trae consigo un proceso de reemplazo de las formaciones vegetales naturales e importantes transformaciones económicas, sociales y culturales; alterando los ecosistemas, las cuencas hidrográficas, las economías locales y las formas de socialización y cultura de los territorios forestados. Se trata, por tanto, de un proceso que ha provocado tensiones, articulaciones y conflictos entre las empresas forestales, ocupantes tradicionales de los territorios, el Estado y nuevos actores. Inserta en la trayectoria de expansión forestal, la comuna de Constitución, ubicada en la VII región del Maule (Chile), es uno de los territorios que concentra mayor cantidad de hectáreas con plantaciones exóticas, específicamente el tercer lugar después de las regiones del Biobío y la Araucanía. Plantaciones que abastecen a la planta de celulosa Arauco-Constitución S.A, localizada en el centro de la ciudad; convirtiéndola en un territorio icónico del proceso de expansión forestal en Chile. A su vez, fue una de las zonas que sufrió mayores daños tras el terremoto y maremoto del 27 de febrero del 2010. En este escenario, el desastre actuaría visibilizando y tensionando el proceso de producción territorial vinculado a la expansión forestal, principalmente al asumir Arauco S.A la responsabilidad en el diseño y financiamiento del Plan de Reconstrucción Sustentable (PRES) de la ciudad. A partir de los antecedentes señalados, se propone una lectura crítica de las actuales dinámicas en el proceso de producción territorial liderado por la industria forestal en la ciudad de Constitución, rastreando aquellos dispositivos de producción territorial desplegados ante el desastre sísmico del 27 de febrero, sus articulaciones y tensiones con la trayectoria de expansión forestal en curso, así como los principales impactos socioambientales y la emergencia de potenciales nuevos conflictos a ellos asociados. Se trata, en definitiva, de observar la interrupción del continuo territorial-funcional de producción de un orden socio-espacial previo que se torna visible tras el desastre sísmico, en un escenario en el que industria forestal asume los compromisos y lidera el proceso de reconstrucción. En sintonia con la problemática planteada, el análisis tensiona las nociones de territorio, producción territorial, industria extractivista, sustentabilidad y desarrollo; develando las articulaciones y tensiones emergentes entre los distintos actores que participan de la dinámica actual de configuración territorial. Las aproximaciones teórico-metodológicas y los resultados hasta el momento obtenidos, se inscriben en el desarrollo de una investigación doctoral en curso que, a su vez, es parte del Proyecto Anillo1404 “Dinámicas naturales, espaciales y socio-culturales: perspectivas sobre los conflictos socio-ambientales en territorios forestales de Chile, 175-2014”.  

 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Catástrofes, riesgo y Vulnerabilidad |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
“La vida ya no es conforme ahora”: impactos del derrame de petróleo del 2014 del Oleoducto Norperuano en los modos de vida de la comunidad de Cuninico, en Loreto, Perú. (#4918)
Carolina Maria Pin Alcalde 1; Tania Daniela Gomez Perochena 1; Alejandra Barrera Ugarte 1; Aymara Leon Cepeda 1
1 - PUCP.
Abstract:
Históricamente, las actividades extractivas promovidas por el Estado peruano se han llevado a cabo sin considerar de forma responsable los efectos medioambientales y sociales de la contaminación.  En el 2016 en la Amazonía peruana han ocurrido once derrames de petróleo  y  en los ultimos veinte años más de ciento noventa. Es por eso que consideramos crucial preguntarnos por el impacto de estos acontecimientos en los modos de vida de los y las pobladoras de las comunidades indígenas que se asientan en las cuencas de los ríos. Usando una metodología cualitativa (treinta entrevistas semi estructuradas) y cuantitativa (cuarenta encuestas) buscaremos abordar los cambios que ocasionó el derrame de petróleo del 2014 del Oleoducto Norperuano de la empresa estatal Petroperú  en los modos de vida en la comunidad de Cuninico, ubicada en el distrito de Urarinas, departamento de Loreto. El caso de esta comunidad, cuya población es mayoritariamente de procedencia étnica kukama-kokamillia, constituye un punto de inflexión de este ciclo de derrames de petróleo, ya que es la primera comunidad en entablar demandas judiciales a Petroperù Estado por la falta de mantenimiento del oleoducto y al Estado por la inacción de diferentes sectores ante el desastre ambiental y de salud.   Analizaremos los cambios en los modos de vida por medio de las nuevas prácticas y representaciones que se han generado a partir del derrame,  no solo desde dimensiones “materiales” (alimentación, salud, trabajo) sino también desde las dimensiones simbólico-culturales y emocionales (como por ejemplo el miedo, la tristeza, la incertidumbre y la indignación) que acompañan estos cambios. Asimismo, veremos aquellas estrategias que los pobladores han desarrollado para hacerle frente a estos cambios que desestabilizan su vida cotidiana. De esta forma, la investigación tiene una aproximación integral y constituye un aporte a los estudios sobre los impactos de las industrias extractivas en los modos de vida (livelihoods) indígenas.   Concluimos con una reflexión sobre la urgencia de una política estatal que permita abordar las consecuencias de los impactos de la industria petrolera en los modos de vida, así como una postura más amplia sobre la sostenibilidad ambiental, económica, social, simbólica y emocional de este tipo de actividades y sus consecuencias en los territorios de los pueblos indígenas.

 
14. Medio Ambiente, Sociedad y Desarrrollo Sustentable | Catástrofes, riesgo y Vulnerabilidad |
Martes 05/12 | 08:00 - 10:00 | Fac. Derecho | 39 |
Movimientos en maza, enfoque de integrados de un problema ambiental: Análisis del deslizamiento en la ladera de Campo Alegre en la ciudad de Barranquilla, Colombia. (#5336)
Eliezer Martinez Navarro 1
1 - UNIVERSIDAD DEL ATLANTICO.
Abstract:
El proceso de urbanización en Latinoamérica y particularmente en Colombia durante  los últimos doscientos años, ha estado marcado por una constante aceleración. De la mano del discurso de la modernización, el progreso y el desarrollo han emergido grandes ciudades, haciendo relevantes en la agenda pública, los cambios demográficos, culturales y económicos propios de la modernidad. En los países periféricos, la ilusión de ciudades bajo el  ideal de modernidad, aparecen espacios de planificados de la ciudad, al  tiempo que irrumpen asentamientos espontáneos llenos de incertidumbres. ¿Cómo las instituciones  y los habitantes de la ladera  de campo Alegre de la ciudad de Barranquilla actúan frente al riesgo ambiental de los movimientos en maza que se dieron en la ciudad entre el año 2005-2010? Contexto. En 1981 se inició el proceso de urbanización del Barrio Campo alegre, como de costumbre, para ampliar el área de construcción se destruyó la mayoría de los relictos de bosque segundario, sin embargo, solo hasta 1997 se empieza a notar un proceso de urbanización acelerada de esta zona. Como consecuencia inevitable una serie  de modificaciones en el sistema de drenaje se asociaron a este proceso de urbanización. Este fenómeno unido a la naturaleza inestable del terreno a causa de arcillas sensitivas condujo a los primeros eventos de deslizamiento  de tierra en 1998. En adelante, los deslizamientos fueron progresivos  y cada vez más severos, hasta que en el año 2008 un fuerte invierno activo las alarmar de emergencia y obligo a iniciar obras de mitigación. Actualmente son 72 hectáreas, solo en Campo Alegre, de las cuales 58% se encuentran en riesgo, 9927 viviendas dignificadas, 2581 en destrucción total a causa del deslizamiento de barrios enteros. En medio de la problemática aparecen los políticos, los expertos y los afectados, con diversas formas de enfrentar y tomar medidas sobre la problemática. Con el fin de tener una visión completa del problema usamos la Matriz CATWOE a partir de la cual tenemos una visión reflexiva de las diferentes versiones de los actores. La matriz es una lista de dimensiones que permite describir el punto de vista de un actor. Esta matriz apunta a ayudarnos a trabajar rigurosamente alrededor de la información que recibimos de los actores, focalizando particularmente en la apuestas y en las dificultades que encuentran los actores en el contexto de su actividad, así como en su dinámica. Buscando identificar los elementos que hacen parte de las problemáticas, olvidamos muchas veces el papel del medio ambiente, a través de esta herramienta, como lo es la matriz CATWOE, contemplamos  el medio ambiente como un actor más, en la evolución de la problemática, y para nosotros, con objeto de esta investigación, es un actor central, pues la estabilización de lo natural en la modernidad se presenta como la solución a las controversia ambientales.